Não cometa estes erros na sua Iluminação!

Todos cometemos erros, certo? Alguns sérios, outros banais. Mas erros na iluminação, além de desvalorizar um ambiente, afetam a saúde das pessoas. É por isso que, neste post, vamos falar dos principais erros cometidos nesta área e mostrar como é possível solucioná-los com praticidade. Leia até o fim e descubra se você já “pecou” em algum deles e como poderá resolver a situação!

 

Quando queremos decorar nossa casa ou escritório, temos a tendência de nos preocupar com a combinação de objetos, cores e estilos. Isso é errado? Não! Estas são as primeiras impressões de um ambiente, mas a iluminação, que às vezes é colocada em segundo plano, tem o poder de realçar ou distorcer a sua beleza. E mais que isso, uma iluminação correta vai contribuir para uma visão saudável a longo prazo. Então separamos os seguintes erros para você não cometer mais:

  • excesso ou escassez de luz
  • ter apenas fonte única de iluminação 
  • temperaturas de cor. 

 

EXCESSO OU ESCASSEZ

 

A iluminação excessiva ou escassa ainda é um erro muito comum hoje porque existem alguns mitos que foram desenvolvidos ao longo do tempo e ainda são perpetuados mundo afora, mesmo que inconscientemente. Abaixo vamos desfazê-los e explicar por que são prejudiciais:

 

  • Mito 1. Um ambiente com menos luminosidade é mais confortável para a visão. 

Depende!

Se você está assistindo TV com a família, relaxando no quarto ou tomando um bom banho, realmente uma menor luminosidade pode ser até adequada, pois vai contribuir para o relaxamento do corpo e da mente.

A fadiga ocular ocorre pelo desequilibrio entre a pouca iluminação do ambiente e o excesso de luz do computador, por exemplo.

Mas se você está trabalhando, cozinhando, ou executando qualquer outra tarefa que exija maior foco e atenção, uma menor luminosidade prejudicará sua a visão, causando fadiga visual, dores de cabeça e etc.

 

 

  • Mito 2. Quanto mais iluminado, melhor.

Embora seja comum que nos preocupemos em eliminar a escuridão, um ambiente claro não quer dizer bem iluminado. Por quê? Porque o excesso de luminosidade pode causar fadiga ao músculo ocular, que é o responsável por regular a intensidade e o foco da luz  antes de enviá-la ao cérebro.  Então o excesso de luz  pode causar irritação, dores de cabeça, entre outros problemas. 

 

Estes mitos fazem com que um ambiente, por melhor decorado que esteja, se torne desconfortável, tanto pelo excesso quanto pela falta: o excesso de luz irrita o globo ocular, fazendo com que deixemos de apreciar a beleza dele, e a falta de luz impede que vejamos os detalhes do local.

 Além disso, outro problema é que as distorções na luz podem desvalorizar o ambiente, mudando inclusive as tonalidades de móveis e objetos. Veja abaixo a diferença entre um espaço mal iluminado e como ele é valorizado depois das alterações necessárias: 

 

Embora seja mais confortável para descansar, a menor luminosidade não ajuda no horário de trabalho. Olhe como a luz do computador parece muito mais forte do que a imagem ao lado.
A luminosidade do computador se torna mais confortável aos olhos graças a uma melhor iluminação no ambiente, além de valorizar os detalhes dele.

 

 

 

 

 

 

 

 

Quais são, então, as alterações necessárias para ter um espaço iluminado de forma equilibrada?

  1. Calcule o quanto de luz será necessário para iluminar o ambiente. Temos um post super didático que te ajuda a entender como fazer isso, basta clicar aqui para lê-lo!
  2. Determine a função do ambiente para saber qual a temperatura de cor é a mais adequada para ele: quente ou fria. Se for um ambiente integrado, ou que tenha mais de uma função, é preciso ter as duas temperaturas disponíveis. 

Mas nunca acenda as duas temperaturas juntas! Se você quiser mesclar temperaturas para deixar o espaço mais equilibrado, escolha misturar uma delas com a temperatura neutra (em torno de 4000K). Assim, o pobre cérebro não vai “bugar” e você ainda mantém o equilíbrio na iluminação!

E, falando em não acender as duas temperaturas de uma vez, entramos no segundo erro que é acreditar que somente a luz geral é suficiente para uma boa iluminação. 

 

FONTE ÚNICA DE ILUMINAÇÃO

 

Neste ponto encontramos um terceiro mito a ser desfeito: 

  • Mito 3. Só a iluminação geral basta. Possuir outros tipos de iluminação é desnecessário e supérfluo.

Mito!

Atualmente os espaços estão cada vez mais integrados e menores. Nestas situações, são necessárias mais de uma fonte de iluminação no mesmo local. Por exemplo, a cozinha americana se tornou muito comum nos apartamentos e integra sala + bancada + cozinha.

Por menor que sejam estes cômodos, apenas uma fonte no centro da sala e outra no centro da cozinha podem não ser suficientes para iluminar a bancada, ainda mais se ela for usada para executar tarefas, como cortar alimentos, lavar a louça ou servir o jantar. O que pode acontecer é que alguém vai produzir uma sombra em cima da bancada, impedindo a boa iluminação. Assim, é necessário outro foco de luz em cima dela, para uma boa execução de tarefas.

Consegue ver a sombra da cadeira projetada na mesa? Dependendo das condições, esta sombra seria maior, o que poderia prejudicar a iluminação da mesa de jantar. Assim, o lustre acima dela é necessário. 

 

Mas se você usar o ambiente para apenas um propósito, não quer destacar nenhum item de decoração e não é um espaço de circulação, realmente pode não ser necessário. Por exemplo, uma sala exclusiva para receber visitas e que receba muita iluminação natural, talvez não precise de outra fonte se não a geral. Também, locais de trabalho, como escritórios, que são usados apenas em horário comercial, talvez não precisem de fonte secundária de luz.

 

Uma sala bem iluminada e usada apenas para uma função, talvez precise apenas de luz geral.

 

Vejamos agora quais os principais tipos de iluminação que podem ser necessários em um espaço:

 

Iluminação Geral é aquela que ilumina por inteiro um ambiente. Costuma ficar no centro dos espaços e está dividida em Direta e Indireta. A Direta é a luz com foco direto no local e a Indireta é aquela voltada para o teto ou parede e os usa como rebatedores de luz.

Iluminação de Destaque é mais decorativa. Serve para realçar a beleza de paredes, prateleiras e quadros ou ainda iluminar a fachada da casa.

Iluminação de Tarefa é aquela necessária quando o ambiente é integrado ou o mesmo cômodo é usado para a função de executar alguma tarefa: dormir e estudar, relaxar e trabalhar, relaxar e cozinhar, etc.

Iluminação de Orientação se destina a iluminar áreas de circulação, como corredores, halls, escadas e corrimão. Ela é muito importante para evitar acidentes.

 

Assim, a eficiência luminosa de um espaço vai depender de você entender a função dele, levá-la a sério e fazer as instalações ou adaptações necessárias. E é por isso que o próximo erro tem a ver com a importância de cada temperatura de cor.

 

IMPORTÂNCIA DA TEMPERATURA

 

Aqui temos outro mito a ser desvendado que é:

  • Mito 4. Existe só uma temperatura certa, para a casa, ou para um ambiente.

 

Falar de temperatura certa ou errada é algo genérico e arriscado. Cada temperatura de branco existe por uma razão específica e isso tem a ver com como o nosso corpo reage a sensação de cada uma.

 

A luz “fria” é ideal para ambiente de trabalho, pois estimula a concentração e dá equilibrio á luminosidade do computador.

Branco frio: temperatura em torno de 6000k e é a que se assemelha à luz do sol do meio dia. Seu tom é bem branco, chegando a quase azulado (em 6500K). Sob o efeito dela, o corpo é estimulado a atividades e a concentração. Por isso é ideal para ambientes de trabalho ou, em casa, naqueles espaços onde se executam tarefas.

 

 

 

 

A luz “amarela” ou quente ajuda o corpo a descansar.

Branco quente: temperatura em torno de 3000K e se assemelha à luz do pôr-do-sol. Possui tom mais amarelado, chegando quase ao laranja (2700K). Sob o seu efeito, nosso corpo se sente mais calmo, relaxado. Assim, é a cor mais indicada para quartos e salas, como luz geral, porque é onde geralmente as pessoas ficam para desestressar.

 

 

Mas, hoje em dia, com os ambientes integrados é preciso usar um tipo de iluminação para cada função. Por exemplo, se no seu quarto ou sala também fica o home office, pode-se instalar o branco quente como luz geral, para os momentos de descanso, e o branco frio, para executar as tarefas de trabalho. Nesta questão, uma luz direcionada para a mesa de trabalho é o ideal. Separamos algmas opções para você na tabela abaixo.

Esta variedade é necessária para que a nossa visão fique em equilíbrio e o cérebro entenda que, quando acendemos as luzes frias, é hora de ficar ativos e dispostos, o que inclusive pode contribuir para um rendimento maior no trabalho. E, no final do dia, ao acendermos as luzes de temperatura quente, o cérebro vai assimilar que chegou o momento de relaxar, o que é, inclusive, um “convite” para o sono.

Fizemos um post só sobre essas diferenças de temperaturas, e se você clique aqui para ver todos os detalhes.

Para te ajudar a setorizar todos os espaços com a luminosidade adequada, selecionamos algumas opções de produtos que podem ser combinados. Apenas lembre-se combinar os estilos e cores, ok? 

AmbientesIluminação GeralIluminação Auxiliar ou de Tarefa
Quarto + Home OfficePlafon ou Pendente*Spots embutidos na área da mesa de trabalho
Sala + Home OfficeArandelas e Plafon no centro da sala de TVSpot, Painel ou Luminária embutida na área da mesa de trabalho
CozinhaPlafonFita de LED ou Perfil de LED no armário, nicho ou em prateleiras para área da pia e fogão
BanheiroPainel de LED no centroFita de LED ou spots no espelho, nicho ou em prateleiras
Hall de entrada + Home OfficePendente* ou lustre no centroLuminária de chão ao lado da mesa de trabalho ou spots em cima dela

 

Os pendentes aqui servem como luz auxiliar, assim como a fita de LED ao fundo, que ajuda a iluminar a bancada para execução de tarefas.

** Existem alguns modelos de pendentes cuja potência e fluxo luminoso são próprios para efeitos decorativos e como luz auxiliar. Assim, não serão suficientes como fonte geral. Antes de escolher o seu, atente-se a quantidade de iluminação que requer seu espaço e busque um modelo que atenda a esta necessidade.

   A tabela acima são apenas ideias de como você pode combinar os diferentes itens de iluminação com suas necessidades.

Bom, agora que já desvendamos os erros mais comuns, explicamos porque não se pode cometê-los e te demos soluções práticas para solucioná-los, esperamos de coração que você coloque mãos à obra aí na sua casa. 

Assim, sua decoração será valorizada e sua saúde também. Se tiver mais alguma dúvida sobre este assunto, deixe seu comentário abaixo. Queremos o seu feedback!

 

Queremos saber sua opinião, e se você tem alguma dúvida, vamos amar respondê-las!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.