GUIA DA DECORAÇÃO AFETIVA – Tudo o que você precisa saber!

Você sabe o que é decoração afetiva? Sabe o que ela faz com o ambiente e como influencia nossa rotina, disposição e humor? Sim, ela tem esse poder. Mas será que ela é para você? Se é, como colocá-la em prática? Vem com a gente nessa viagem pelo seu “eu” interior e descubra as respostas a todas estas perguntas.

 

O QUE É?

 

Afeto quer dizer estima, afeição, apego a alguém ou a alguma coisa. Essa é uma característica do ser humano: nós nos apegamos, ou afeiçoamos. Quando pequenos, começamos pela família: pais, avós, primos, as brincadeiras, momentos juntos, refeições, viagens, etc. À medida que o tempo passa, mudamos os hábitos ou acabamos perdemos estas pessoas, e o que nos resta são seus objetos, cheiros, músicas, fotos…

A proposta da decoração afetiva é inserir objetos que remetam a lembranças ou que se identifiquem com o morador!

E são baseadas nestas lembranças que vamos começando a construir uma identidade. Daí, elas começam a se fundir com outras experiências: novas pessoas, lugares e emoções. 

Na fase adulta, carregamos essa bagagem (física ou sensorial) e alguns de nós, de tanto carinho que temos, a transformamos em parte da decoração. É o que a arquitetura, design e psicologia chamam de “decoração afetiva”!

 

Ela surgiu nos últimos anos com o aumento do modelo “home office” de trabalho (clique aqui para ler nosso post sobre como ter o home office perfeito) e teve o seu “boom” com a pandemia desde março de 2020, no Brasil.

 

O home-office mudou o ponto de vista de muitos sobre como ter a “casa dos sonhos” o que foi o “gatilho” para uma decoração mais  afetiva!

Com a maioria do mundo dentro de casa, as pessoas, passaram a olhá-la de forma diferente: em vez de querer uma decoração igual às capas de revistas (como temos buscado a vida toda e não há nenhum erro nisso), viram que talvez precisassem dar mais vida ao seu próprio lar, para que ele se tornasse uma extensão do seu “eu” e que assim, se sentissem mais conectados, acolhidos e talvez até inconscientemente protegidos!

 

 

Então, como você pôde perceber até aqui, ela não tem muito a ver com um estilo pré definido de decoração. Claro, se sua casa tem um estilo, não importa qual, a decoração afetiva pode ser inserida nele sem problemas. Isso porque ela é uma maneira muito pessoal de organizar, enfeitar e iluminar a sua casa.

COM QUEM COMBINA

 

Para saber se combina com você, é preciso olhar para dentro de si mesmo.  Pergunte-se: será que eu gosto do meu passado? Tenho memórias felizes da minha infância? Tenho relíquias ou peças artesanais de família que me transportam no tempo e me fazem sentir bem?

 Sim, aqui é necessário uma boa dose de autoconhecimento. Geralmente, crianças que brincavam na rua, que tiveram convivência estreita com família, amigos, e até vizinhos (hábito tipicamente do interior), costumam ter mais facilidade em aderir a este estilo tão único. 

Mas isso não é uma regra. Vamos supor que você não viveu tantas experiências como as descritas acima, mas gostava de como seus pais decoravam a casa. Ou se você curte o estilo vintage, peças artesanais do estilo boho (tipo tricot ou crochet), ou mesmo se você cria algum tipo de arte e gosta de garimpar antiquários, então também pode gostar da decoração afetiva, pois o princípio aqui é que o objeto te faça sentir algo, seja ternura, conforto, carinho, memórias ou mesmo o reconhecimento de sua própria personalidade.

Produzir e decorar a casa com itens que voce mesmo fabricou, expressa sua personalidade, o que faz parte do conceito de decoração afetiva.
O gosto dos pais que passa para os filhos pode fazê-los ter facilidade para aderir ao estilo afetivo de decoração.

COMO FAZER 

 

Seja procurando peças de família, itens de herança, mobília da vovó, ou bisbilhotando brechós e garimpando antiquários, o objetivo é um só: que sua casa “fale”. Ao fim, ela contará histórias, e qualquer arranhão será valorizado. Enfim, sua casa será uma extensão sua! 

Mas, calma: antes de sair correndo e comprando peças apenas porque gostou, analise o que você já tem: por exemplo, seus móveis são de que cor? As paredes, texturas, pisos…essa arquitetura toda tem que ser levada em consideração para que a casa fique harmoniosa, que seus objetos do passado combinem com o seu presente. 

 

Vamos a alguns exemplos típicos: 

  • Itens de parede: relógios antigos, quadros e fotos de família podem se misturar com alegria a outros souvenirs como chapéus, prateleiras com pequenas plantas e livros especiais. Assim como certas coleções, que podem ir para estantes, como discos de vinil e livros (se forem muitos) ou ser emolduradas e colocadas junto a este “mural”. Claro, reserve um espaço específico para eles, ou a casa pode parecer um museu com tudo isso espalhado!
  • Ainda falando sobre o que pode ir para a parede: se você ama “turistar”, se já conheceu vários lugares do Brasil e do mundo, pode procurar uma foto de cada lugar e fazer um mural, como um mapa Mundi!  Experiências deste tipo nos “abrem a mente” e nos amadurecem de maneira fantástica! Expondo essas lembranças felizes de lugares, pessoas, sensações, cheiros, é como revivê-las!
  • Pequenos móveis de família, tipo vintage, podem ser levemente repaginados, para não perder sua essência e história, e servir como criados mudos, mesinhas de canto ou de centro. E uma base que guarda a máquina de costura antiga ainda pode se tornar um belo “aparador”!
  • O mesmo vale para móveis novos de estilo retrô ou clássico, que podem te lembrar velhos tempos. Mesinhas e criados mudos com pés palito ou rococós, quadros com ilustrações dos anos 70 ou 80, ou pratarias requintadas, podem ser dispostas em um cantinho especial.
  • Móveis grandes: cristaleiras, sofás de veludo, aparadores, poltronas, etc..as heranças merecem seu lugar na nossa vida. Com a devida restauração, elas podem ser úteis por mais tempo, se tornar relíquia e fazer sucesso com as visitas!
  • Plantas! Sim, trazer plantas para dentro de casa dá, literalmente, mais vida a ela. Se algum tipo específico te traz memórias prazerosas, esta é sua chance!
  • E por fim, mas não menos importante: se você mesmo gosta de criar e possui itens que mostrem o que suas próprias mãos fizeram, inclua-os em meio a decoração. Sejam quadros, cerâmicas, artesanatos em geral, etc, são expressões de sua personalidade! Como ser mais afetivo do que isso?
Expressão da personalidade em casa é o foco da decoração afetiva.

 

ILUMINAÇÃO QUE CONTRIBUI

 

Até algumas décadas atrás, a iluminação incandescente era a mais usada nas residências. Por isso a luz amarela vai projetar aquela sensação de aconchego que tínhamos na infância, na casa dos avós, pais e tios, onde todos se reuniam na sala ou na cozinha, em volta da mesa para compartilhar experiências. Para te ajudar a entrar nesse clima, temos a lâmpada de filamento aparente que reproduz essa sensação de antiguidade e pode criar um ambiente especial.

Outra opção interessante são os plafons arredondados com textura amadeirada, pois lembram muito as casas de nossos avós e talvez até a primeira infância. Temos, como exemplo, o plafon Victória, o Enzo e o Timber, que tem uma pegada retrô, e são perfeitos para a composição afetiva.

Além dessas opções, temos um plafon que vai te deixar animado: o plafon Sissi, com LED RGB que possui várias funções que incluem reprodução de música, alternância de cores, mas o principal, que cabe no nosso contexto de décor afetiva é a temperatura da luz: que vai desde branco frio até pôr do sol e luz de velas!! Não tem função mais retrô que essas, não é mesmo? 

Também existem pendentes que contribuem para o clima afetivo, como por exemplo: os pendentes estilo Soquete, inclusive com várias cores, super retrô, o Colonial, com design clássico, os pendentes Meia Lua, Gota, Bola que tem formato parabólico e você pode escolhê-los nos tons básicos, como prata, dourado ou coloridos. 

 As luminárias de chão e abajures também são ótimas peças, muito usadas antigamente, quando não existia o celular e as pessoas relaxavam lendo livros, revistas ou jornais impressos antes de dormir ou em cantinhos de leitura, como perto de uma pequena biblioteca.

Resgatar esse décor, essa iluminação, e o melhor de tudo: resgatar o hábito de ler, é uma das melhores heranças que nossos antepassados poderiam nos deixar! Se você gostou dessa opção, temos a Coluna Stecche di Legno, a Luminária Abajur de Chão, a linha de abajures Clássico e a Luminária de Mesa Articulada, que tem o design perfeito para retomar esse hábito e este estilo.

 

 

Agora, se você quiser iluminar os móveis, quadros e coleções de família, nada melhor do que os spots. Eles são embutidos no forro e servem justamente para destacar itens na parede ou aquele móvel especial que você herdou ou achou em algum antiquário e se apaixonou!

 

Os spots são ótimos para destacar itens e reliquias de familias.

Apenas atente-se a que eles sejam de lâmpada de LED, porque elas emitem menos calor e peças antigas podem se deteriorar mais rápido com iluminação que aumenta sua temperatura! 

Se você escolher a iluminação certa, suas peças só têm a ganhar e sua casa vai ter o aconchego e acolhimento dos tempos que não voltam mais! Esse aconchego nos torna seres mais produtivos, mais conhecedores de si mesmos e graças a isso, capazes de fazer escolhas conscientes na vida. Nos faz sentir que temos um lugar no mundo, onde podemos relaxar, produzir, recordar e nos “aninhar”!

Fazer da casa uma extensão de sua personalidade vai te fazer realmente se “sentir em casa”. E isso é diferente de estar em casa…

 

A decoração afetiva ajuda a relaxar de verdade.

 

 

 

 

 

 

 

Existe, inclusive, um campo específico da psicologia que estuda o comportamento do ser humano com base no ambiente em que está. Um professor desta área, na Universidade René-Descartes, em Paris, disse que nossa percepção do espaço influencia a forma como nos comportamos. Por isso é tão importante que nossa casa tenha uma estética agradável, pois isso tende a refletir melhor humor e comportamentos positivos: seja maior produtividade no trabalho, maior relaxamento ao descansar, mais prazer ao curtir os hobbys favoritos…etc 

 

Ao mesclar estes itens do nosso passado com peças e estilo que são nossa cara HOJE, tornamos nossa casa uma extensão de nós mesmos, vamos poder ver nossa história de vida e vamos realmente sentir que temos um lar!

 

Agora que você já entendeu do que se trata essa decoração mega pessoal, coloque mãos à obra e depois comente aqui se ainda tem alguma dúvida ou o que fez para que sua casa tivesse mais a sua cara! 

 

Queremos saber sua opinião, e se você tem alguma dúvida, vamos amar respondê-las!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.